25 de setembro de 2007

Convite - Encontro de Blogueiras e Blogueiros

Olá pessoal tá chegando !!!

A Cinara, e a Claudia,

convidam todas as blogueiras e blogueiros para um brunch, será um encontro que acontecerá em Campinas no mês de Outubro!
Onde cada pessoa deverá trazer um prato (salgado ou doce) e uma bebida. Uma ótima oportunidade para conhecermos pessoalmente os nossos amigos virtuais! Quem puder ir deve confirmar por e-mail, passem lá no blog da
Cinara's Place , e confirmem a presença! (é só clicar no botão “E-mail” na coluna à esquerda para confirmar a presença, saber o local e tudo mais que for necessário).
Até lá !

23 de setembro de 2007

Guloseimas Saudáveis


Guloseimas saudáveis nas horas onde a vontade de comer precisa ser driblada. Uma mistura rica em nutrientes e fibras que possuem grande poder de saciedade. Morangos picados com iogurte natural, mel (usei o mel karo) nutella, uvas passas, castanhas de caju trituradas e flocos de aveia, esqueci de acrescentar a granola, não falta na minha listinha.

17 de setembro de 2007

Fukashi Manju



Doce recheado e cozido ao vapor. (Fukashi, em japonês, significa ser submetido ao vapor). Após o cozimento, a massa se torna branca, com a opção de ser colorido artificialmente, antes do cozimento. Esta receita minha Batchan (avó) que ensinou. Existem outras receitas em que são acrescentadas claras de ovo batidas em neve. Para algumas amigas que solicitaram a receita, espero que gostem.

Anko – doce de feijão azuki

300 gramas de feijão azuki (encontrado em casas de produtos japoneses);
1 e 1/2 copo de açúcar cristal;
1 pitada de sal
Modo de preparo:

Primeiro é preciso lavar o feijão e deixá-lo um bom tempo de molho. Em seguida, cozinhá-lo na panela de pressão por aproximadamente 30 minutos, igual ao feijão comum.
Depois de cozido, bata todo o feijão no liquidificador até virar uma pasta, colocando água o quanto for necessário. Em seguida, colocar a pasta num saco de pano (o saco pode ser feito com o mesmo tecido de pano de prato) e espremer para tirar toda a água. Levar essa pasta ao fogo numa panela grande, acrescentando o açúcar e o sal. Cozinhar por 20 minutos ou até aparecer o fundo da panela, mexendo sempre com uma colher de pau. Quando esfriar faça os bolinhos (do tamanho de brigadeiros). Rende aproximadamente 70 unidades médias ou 90 pequenas. O anko pode ser usado em outras receitas ou consumido como doces.

Para a massa:

1 copo americano de água
2 copos americano de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 pitadinha de sal (por minha conta)
Farinha de trigo quanto baste

Modo de preparo:

Junte numa vasilha grande, a água com o açúcar e misture bem. Em seguida o fermento e a farinha de trigo ao poucos até que tudo fique homogêneo. O ponto da massa não deve ser dura, quanto maleável estiver à massa fica mais fofinha depois de pronta. Caso fique grudando é só untar as mãos com farinha.

Depois, pegue pedaços da massa, abra com a ponta dos dedos e recheie com as bolinhas de anko. Feche a massa formando uma bolinha e coloque sobre pedaços de papel manteiga. Pegue uma panela de cozimento a vapor (eu usei uma cuscuzeira), coloque água até a metade. Coloque um pano molhado sobre a parte furada, em seguida arrume os manjus sobre o pano (não coloque muito juntos, porque vão crescer), tampe a panela e cozinhe por 15 a 20 minutos. Repita o processo até terminar de cozinhar todos os bolinhos. Abaixo, a imagem dos manjus na cuscuzeira tinham acabado de ficar prontos.

12 de setembro de 2007

Sete M o m e n t o s Marcantes

Fui convidada pela querida Akemi, para responder a esse meme com os 7 momentos mais marcantes da minha vida! Foram muitos os momentos por quais já passei felizes e também tristes.


1. Recife (PE) uma fase muito importante da minha vida quando ainda criança, morava em uma casa onde tinham árvores de tudo quanto era frutas (Pinha, manga, jambo, acerola, pitanga, pitomba, caju, cajá, goiaba água de coco etc.). Um sítio grande, eu e minha irmã passávamos o dia inteiro a correr pelo quintal, subíamos de árvore em árvore, e tinha um pé de seriguela bem baixinho, onde disputávamos as frutinhas maduras.


2. Primeiras artes na cozinha, ao lado minha avó por parte de mãe, vivia ao seu lado dia e noite, meus pais saiam para trabalhar e ao longo do dia, aprendi várias guloseimas com suas mãos de fada, como fazer um mungunzá de coco maravilhoso, canjica, pamonha, como preparar uma massa de mandioca branquinha, e muitas coisas mais...

3. Minha festa de 15 anos, um dia inesquecível em minha vida, minha mãe realizou um sonho que também era dela, pois não teve a oportunidade de uma comemoração como aquela.

4. Novembro de 1996, época em que minha avó partiu para a eternidade. Foi quando ainda com 15 anos de idade, resolvemos vir morar definitivamente em São Paulo. Desde então, estou tendo a oportunidade de conviver com meus avós paternos, minha batchan (avó) e meu ditchan (avô).

5. Dezembro de 2000, viagem para o Japão. Ao ler os momentos da Akemi, pude ver como as nossas necessidades foram idênticas, como andar de bike aos meus 20 anos de idade, pura necessidade mesmo, o nosso meio de locomoção para trabalho, compras etc. Foi muito engraçado, lembro-me dos dias em que ficava horas e horas só pedalando a bike fixa ao chão, e meu pai, certa hora levantou o pedal sem que eu percebesse, aí pronto, imaginem só a queda no chão, acabei desistindo, e só fazia chorar... Depois de várias tentativas iguais a estas foi que conseguir.
6. Dar continuidade aos meus estudos, comecei a fazer minha faculdade em 2006, algo que para as minhas condições emocionais estavam muito longe...

7. Outubro de 2002, A Dor Que Mais Dói! A falta da minha mãezinha...

Muitas vezes a nossa vida se compara á de uma árvore. Assim como a árvore, nós também vivemos diferentes estações. Não há como fugir delas.
Muitas vezes Deus nos guia até o deserto para ali nos revelar o nosso próprio coração. Toda a beleza superficial desaparece e passamos a enxergar as nossas próprias falhas e limitações, nos murchamos como as folhas de uma árvore seca. As circunstâncias que não podemos mudar e os sonhos que parecem não se realizar nos levam a um estado de desconsolo e desesperança semelhante ao de uma árvore no inverno, adoecendo o nosso coração. Muitos se perdem exatamente aí, no inverno de suas vidas. Mas, em vez disso, podemos nos render ao processo divino de fazer morrer o que é superficial e ganhar vida no interior. São mudanças de valores que fazem parte do nosso crescimento espiritual.
O inverno é uma oportunidade de conhecermos a nós mesmos e de sermos transformados á medida em que conhecemos a Deus intimamente. É no inverno da alma que podemos aprender a dependência total para com o Senhor e a desfrutar o descanso em sua soberana vontade. É na morte do “eu” que renascemos para uma nova vida: aquela que Deus tem para nós. É na falência de nossas próprias tentativas que passamos a experimentar o abraço do Senhor agindo em nosso lugar. É quando não podemos mais seguir adiante que Deus nos carrega em seu colo paterno e, então, podemos chegar onde devemos ir. É na nossa limitação que experimentamos o poder de Deus se aperfeiçoando em nossa fraqueza.
Deixo algumas palavras do profeta Jeremias, o qual também ao ler os momentos da Claudia, me fez lembrar destes versículos o qual muito estimo:
As misericórdias do Senhor são as causas de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam se cada manhã. Grande á tua fidelidade.
A minha porção é o senhor, diz minha alma; portanto, esperarei nele. Bom é o senhor para os que esperam por ele, para alma que o busca. Bom é aguardar a salvação do Senhor, e isso, em silêncio. “Lam. 3-22, 23,24 e 25”

Para este meme gostaria de indicar a
Nani, Ana Elisa, Dani, Duly e Sara
. E é claro, só respondam se se sentirem à vontade também.

Corrente da A m i z a d e


Há alguns dias atrás, recebí um convite da nossa querida amiga Claudia "Doces encontros" a participar da corrente da amizade , o qual me deixou muito feliz pela lembrança.
O intuito desta corrente é que cada pessoa escolhida indica mais 10 pessoas com o objetivo de agradecer a gentileza que tiveram de compartilhar conosco as suas artes, pensamentos e um pouco de sua vida.

Fiquei a pensar no tanto de pessoas queridas que indicaria. Mas para mim é uma tarefa muito difícil, pois o carinho e admiração que tenho é por todos.

Agradeço muito a todas as pessoas dos quais blogs eu visito e que também me presenteiam com suas visitas, onde não imaginam a alegria que tenho de receber a cada um neste cantinho.

8 de setembro de 2007

FERIADO PROLONGADO

Mais um feriado, para os que podem viajar, aproveitem, para os que apenas descansarão já será um grande argumento para sair da rotina, e para os que trabalharão normalmente, sei que não serve de consolo, mas esses 3 dias não serão iguais aos demais, aquela loucura do dia a dia, será mais amena.

Ficamos torcendo para que chegue logo, e contando os dias para curtirmos esses 3 dias, é isso mesmo, 3 dias, ou seja, quase nada se pensarmos friamente, porém para quem tem a vida corrida e não consegue parar, são dias importantes e que devem ser aproveitados da melhor maneira.

O bom é que nessas datas conseguimos reunir amigos e familiares, estejam onde estiverem, nessas datas sempre arrumamos maneiras de nos encontrarmos.

E nesta data também, meu primo Seiji faz aniversário. Nos reunimos em sua casa para um churrasco em comemoração. Na cozinha hora em que as mulheres colocam suas fofocas em dia (risos) e ao mesmo a mão na massa... Além do churrasco maravilhoso preparado por meu ojisan (tio), abaixo algumas fotos do nosso almoço...

Sushi (com algas e Ovo)
Tsukemono de pepino (conserva)

Tofu, Gohan (arroz) com legumes e curry, Guioza...
No fim da tarde, bancha (chá verde) e manju (bolinho recheado com azukí, doce de feijão), bombons e bolo de morango.


Feriados iguais a estes, é preciso que aconteça pelo o menos 2 vezes ao mês, poder desfrutar de tudo isto na companhia de pessoas importantes é simplesmente maravilhoso.

3 de setembro de 2007

PAVÊ

Nossa sobremesa de domingo, um pavê com duas camadas de biscoitos, umedecidos com uma calda acrescida de conhaque, dois cremes com sabores delicados, coberto com um creme fofo e leve. Registro aqui cada detalhe deste sabor inigualável, acho difícil, alguém que ainda não tenha experimentado. Também o chocolate pode ser substituído por algumas frutas frescas ou em calda, como o pêssego, fica excelente.


Para o Creme de gemas: 2 latas de leite condensado

1 medida de lata de leite

1/2 colher (sopa) de amido de milho

3 gemas


Numa panela, junte o leite, as gemas e o leite condensado e leve ao fogo médio até ferver. Acrescente o amido de milho dissolvido com ¼ de leite, mexendo sempre. Quando o creme começar a desgrudar do fundo da panela, conte 5 minutos e desligue. Reserve. Para o Creme de chocolate: 200 g de chocolate meio amargo (picado)

2 colheres (sopa) de açúcar

2 colheres (sopa) de manteiga

1/2 xícara (chá) de leite

Numa panela, coloque a 1/2 xícara (chá) de leite, o chocolate picado, o açúcar e a manteiga. Leve ao fogo baixo, mexendo sem parar até o chocolate derreter completamente. Reserve. Para a Cobertura:

1 lata de creme de leite (sem soro)

3 colheres (sopa) de açúcar 3 claras Essência de baunilha ou raspas de limão a gosto Em banho-maria, coloque as claras e o açúcar mexendo sempre, até ficar morninho, tomando cuidado para não cozinhar as claras. Em seguida bata na batedeira até o ponto em neve. Junte o creme de leite, eu usei as raspas de limão, e bata rapidamente para misturar por, aproximadamente, 30 segundos. Reserve.



Calda para umedecer os biscoitos: 250 g / 1 pacote de biscoito champanhe 1 copo americano leite

3 colheres (sopa) de a chocolatado em pó

2 colheres (sopa) de conhaque Numa panela pequena, junte 1 copo de leite, o achocolatado e o conhaque e leve ao fogo médio. Quando ferver, desligue e deixe esfriar. Com o auxílio de uma colher, mergulhe um biscoito champanhe de cada vez na mistura de leite com achocolatado e o conhaque por apenas 10 segundos. Retire, deixe escorrer o excesso. Montagem: Forre com parte dos biscoitos já umedecidos um refratário, despeje o creme de gemas reservado, em seguida mais uma camada dos biscoitos restantes, o creme de chocolate reservado, e por último, a cobertura de claras. Polvilhe a gosto coco ralado. Leve à geladeira por cerca de 4 horas, geralmente gosto de fazer com um dia de antecedência, pois o sabor fica mais apurado. No momento de servir, peneire o Chocolate em Pó sobre a superfície, e sirva-se a vontade.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...