31 de maio de 2012

Charles Aznavour - Novo álbum "Toujours"





Charles Aznavour é considerado como o Grão-Mestre da canção francesa. É um artista completo, consagrado comediante, exímio compositor e ainda, pintor nas horas vagas. Aos 88 anos um exemplo de quão longe se pode chegar com a persistência! É provavelmente o maior nome da música popular francesa. Sua música já viajou os quatro cantos do mundo e suas letras românticas com certeza já embalaram casais no mundo inteiro.

Novo álbum do maior artista da música popular francesa conta com participações do arranjador brasileiro Eumir Deodato e de Yvan Cassar

Toujours (Para sempre) viaja porque Aznavour sempre viajou. Ele conhece todas as fraquezas e falhas da humanidade, embora ele esteja sempre a celebrar a esperança, o amor, o prazer e a fraternidade. Ele enxerga a vida como um conflito em Des coups de poing, mas também a vê como em le trésor dont le destin/Nous fait l’offrande (o tesouro que o destino/oferece para nos) em La vie est faite de hazards (A vida e uma série de acidentes).

Toujoursconta com inúmeras colaborações de outros grandes artistas, sendo eles músicos de sessão ou grandes estrelas do cenário musical francês: o pianista Jacky Terrasson, presente em cinco faixas; os baixistas Laurent Vernerey e Jean-Claude Ghrenassia; o bateirista Loïc Ponthieux; o acordeonista Lionel Suarez e o guitarrista Pedro Xavier Gonzales, para citar apenas alguns. Além de Thomas Dutronc no vocal e na guitarra em Elle, um vibrante e radiante duo.

Para os arranjos, Aznavour chamou o brasileiro Eumir Deodato (arranjador de Frank Sinatra, Aretha Franklin, Astrud Gilberto, Björk and Christophe para mencionar apenas alguns) e Yvan Cassar (Mylène Farmer, Johnny Hallyday, Claude Nougaro and Nusrat Fateh Ali Khan) e o álbum viaja do Brasil a Paris, com uma ocasional passagem pela Broadway e até mesmo pela Espanha em Flamenca Flamenco.

Claro que são apenas musicas, mas também lições de vida e surpreendentes  celebrações sobre a felicidade que as pessoas podem compartilhar umas com as outras. Logo percebemos o porque de Karl Lagerfeld ter adorado fotografar para a capa do álbum: ele conheceu um artista, mas também um mito. Um dos últimos mitos que ainda existem; Aznavour, para sempre.

Emoção indescritível foi assistir uma de suas apresentações aqui no Brasil! 

Amo para sempre.


Va
Viens m'emporter
Tu ne m'aimes plus
J'ai connu
Ce printemps-là
Elle (dueto com Thomas Dutronc)
Flamenca Flamenco
Les jours
Que j'aime j'aime ça
Des coups de poing
La vie est faite de hasard
L'instinct du chasseur


Fonte: EMI

29 de maio de 2012

John Mayer - Say




Diga o que você precisa dizer...
Não tenha medo de continuar
Não tenha medo de desistir
Melhor você saber que no fim é melhor dizer demais
Do que nunca dizer o que você precisa dizer...

Coisas Simples: 5 Anos




















Neste mês o blog comemora 5 anos de existência. Na verdade não sou muito de festas e comemorações, mais gosto de marcar e lembrar datas e momentos especiais. Foram muitos anos de muito carinho, compartilhamento, amizade, dividindo os momentos bons e alguns não tão bons assim. No geral, só tenho a agradecer por cada amizade, cada comentário e a todos os seguidores.

Imagens: Heidi

23 de maio de 2012

Charles Aznavour - Va




..Va sans remords ni rancœur
Quand un bonheur ce meurt
Il faut qu'un autre naisse...

...Vai sem remorso ou a amargura
Quando uma felicidade que morreu
Outra deve nascer...


Charles Aznavour - Les deux guitares

20 de maio de 2012

Robin Gibb - Like a fool



Robin Gibb!

Para Sempre!

17 de maio de 2012

Happy Birthday Enya!

Donna Summer - Breakaway






Grande diva, marcou muito minha geração. Vivi momentos felizes e inesquecíveis ao som de "Breakaway". Uma perda irreparável para a música!

14 de maio de 2012

Enya - One By One




...Para aquecer esta tarde fria e chuvosa...


13 de maio de 2012

Mãe {Homenagem de Villy Fomin}



Texto escrito em homenagem à sua mãe Vanina Camargo Fomin. Suas palavras traduzem tudo aquilo que passei há 9 anos passados, e que se faz presente hoje e eternamente em minha vida, para sempre em minha memória.


"Existem coisas em minha vida que eu trocaria com facilidade. Algumas pessoas e eventos eu deixaria de lado. Mas existe algo que eu poderia ter mais cem vidas e não abriria mão, que é ser filho do Waldemar e da Vanina.
Não escrevo porque deixei de dizer algo, escrevo por uma necessidade existencial, escrevo pra ver se essa sede passa, escrevo para registrar, documentar para quem quiser saber o tamanho do meu amor.Se escrevo para todos, apesar da impossibilidade do diálogo, também escrevo pra você mãe, não para que você saiba de algo, mas para que os outros saibam algo sobre a pessoa mais incrível que conheci.
Nossas conversas não serão mais possíveis, mas as conversas que tivemos viverão para sempre, conversas que talharam em meu coração valores que me conduzirão pelas estradas que tenho pela frente.
Seus olhos não brilham mais, mas o brilho dos seus olhos iluminarão meu coração nos dilemas que a vida ainda me apresentará.
Bem disse o Paulinho, seu irmão: “Bem-aventurado quem viveu com você”. É verdade, feliz de quem passou tardes sentadas naquela varanda ao seu lado.
Lembro quando nosso Wal, já no fim da vida, andava meio esquecido das coisas, me chamava e quando eu chegava perto ele não dizia nada, apenas apontava pra você. Tempos depois desvendei o mistério, ele queria me dizer que você foi maior de todas, ele queria expressar como foi bom viver ao seu lado por 30 anos. Mas ele não conseguiu. Não tem jeito mãe, qualquer tentativa é incompleta, com ou sem Mal de Alzheimer.
Como descrever você? Parece que o teclado do computador está incompleto. Não, não é isso. Pessoas incríveis não cabem em letras. É preciso conhecer para entender. Eu conheci, que bom.
Nossos anos nesse outro caminhar estão eternizados. Aqueles primeiros dias de consultas e opiniões a respeito da doença que devorou meu pai, me colocaram diante de uma mulher recheada dos valores do Reino. Valores que dão coragem para enfrentar o que não queremos. Uma coisa é pregar, outra é viver.Jamais esquecerei seu carinho, sua paciência e o brilho em seus olhos. Você personificou a palavra “aliança”. Uma coisa é prometer amar na doença, outra é viver.
Uma vida que valeu a pena? Não há como não pensar em você. O salmista em sua sede pediu a Deus sabedoria para contar os dias, creio que você orou com ele, e não tenho duvida de que Deus atendeu ao seu pedido.
Vou chorar sua partida por muito tempo, me reservo ao direito de não aceitar chavões vazios para me consolar, farei de tudo para sentir sua vida pulsando.
O Rubem Alves diz que saudade é nosso coração desejando voltar para um momento de felicidade. É isso mesmo, vou sempre voltar, para sempre lembrar.
Saudade é o nome que se dá quando a ausência vence. Saudade só acontece quando valeu a pena. Dá pra imaginar o tamanho da saudade que sentirei?
O Marcel e eu jamais esqueceremos os livros que você leu e nos deu o resumo para fazermos a prova!
Sim, vou parar no Graal da Fernão Dias para comer pizza. Vou fingir que você está comigo, pois só por você eu como aquela pizza.
Vou comprar quilos e quilos de morango e açucar para fazer sua geléia, o problema é que você nunca escreveu a receita, sempre foi uma “pitada disso”, “um tanto daquilo”. Vou ligar o fogo e deixar queimar só para sentir o cheiro da minha infância e para que o Rafa, o Felipe e a Gabi, seu netos, saibam que sua vida foi um perfume.
Escrevo essas poucas linhas sentado ao seu lado, provavelmente nossa última noite juntos. Já chorei muito, as enfermeiras já devem estar pensando em me internar também…
Porque fiquei aqui? Foi meu coração que mandou, e você me ensinou que Deus mora nele, resolvi segui-lo.
Fiquei aqui para dar os últimos passos com a pessoa que me ensinou a andar.
Fiquei para te ajudar a encerrar sua vida. É pouco mãe, eu sei, mas de alguma maneira estou tentando agradecer por todos os inícios que você se dispôs a trilhar comigo.
Sua vida foi uma poesia, uma obra de arte, por isso nesse momento desisto de tentar falar de você: Obras de arte foram feitas para serem admiradas, e não explicadas.
Fiquei ao seu lado essa noite, dormi por 10 minutos, você aproveitou esse intervalo e correu para os braços do Pai. Protegendo a cria até na hora da morte!
Continuarei minha vida com Fé e Esperança. Fé para viver com a coragem que você viveu. Esperança de que um dia poderemos nos encontrar em uma grande Celebração, nesse dia vou dançar com você e vou obrigá-la a escrever a receita da geléia…Darei para esse dia o nome de Céu, o lugar que me trará de volta as coisas que eu amo e que o tempo levou.
Concordo com meu pai, você foi a maior. Minha linda, sua vida viverá em mim e nos filhos dos meus filhos.Que bom foi sua vida em minha vida. Você não morrerá jamais. Amo você, pra sempre.”  (Villy Fomin)


Fonte: Betesda

12 de maio de 2012

"Saudade e Esperança"


Saudade é o sentimento mais estranho, acontece quando a ausência vence. Só chora de saudade quem amou. O que fazer? Deixar de amar? Não! Ame cada vez mais, afinal, de que vale a vida sem amor?

Como resolver a saudade? Não tem jeito, saudade não é um sentimento para ser resolvido. Saudade não passa, dizem que diminui. Disse o Chico Buarque que ela é como o revés do parto. N...
o parto as contrações aumentam, aproximando a dor até que nasce amor. Com a saudade é o contrário, o tempo passa jogando a dor para um pouco depois, o espaço sem dor aumenta, mas nunca acaba. Resta-nos aprender a viver assim.

O que fazer? Disse o Eclesiastes que há tempo pra tudo nessa vida, logo o que temos que fazer é respeitar e aprender com todas as fases da nossa existência.

Há tempo de plantar, então trabalhe para que o fruto de seu esforço seja um lindo jardim. Mas há o tempo de arrancar, afinal, nada frutifica sempre. Arranque, jogue fora sabendo que aquele jardim perfumou um tempo que já não existe mais. Não, o trabalho não foi em vão. O jardim não existe mais, mas para sempre será possível lembrar das cores das flores. Perfumes são eternos.

Há tempo de chorar. Então chore. Uma espiritualidade que não tem espaço para o choro não têm conexão com Jesus. Mas não passe a vida chorando, há também muitas razões para sorrir. Há muitos milagres acontecendo todos os dias, dê atenção para as coisas simples, elas são incríveis. Converse com crianças, creio que não foi a toa que Jesus disse que “delas é o Reino dos Céus...”. Contemple o pôr-do-sol, desde pequeno sou fascinado por esse espetáculo, também vejo nesse evento um paradoxo: O sol vai embora, dá uma sensação de “adeus”, mas algumas horas depois ele volta brilhando e nos convidando para construir um novo dia, cientes de que o Amor de Deus está sobre nós.

Há tempo para tudo, e ninguém passa pela vida sem experimentar sentimentos contraditórios. Ninguém é senhor de tudo o que acontece, ninguém passa pela vida sem levar uns sustos! Não podemos escolher situações, mas podemos escolher comportamentos, podemos decidir como iremos enfrentar nossos dias difíceis.

Conheci uma mulher que viveu assim, enfrentou dias difíceis, mas escolheu torná-los leves. Em terrenos áridos conseguiu fazer nascer as mais variadas flores. Espalhou vida e plantou esperança. A Bíblia diria a respeito dela: “... mulher da qual o mundo não era digno”.

Hoje eu curto essa saudade e sei que amanhã ela poderá se tornar esperança.

O nome da mulher? Eu a chamava, aliás, pra sempre chamarei de Mãe. 
(Villy Fomin)

Imagem: Google

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...